Violência Doméstica: como identificar e prevenir dentro do condomínio

COMO SÍNDICOS E PORTEIROS PODEM IDENTIFICAR E INTERVIR EM CASOS DE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA

O Brasil é o 5° país no ranking de violência doméstica, e aqui, a cada 2 minutos uma mulher é agredida por um homem, segundo dados do Ministério da Saúde.

Diversas unidades federativas têm leis que obrigam o condomínio a comunicar denúncias de violência doméstica, como é o caso de Brasília com a Lei Distrital nº 6.539, de 13 de abril de 2020. Dependendo da região, as multas podem ultrapassar a casa dos R$ 100 mil.

A violência se dá sobretudo em casa, com agressor conhecido, e as agressões podem ser física, psicológica, sexual ou uma combinação delas. Esse quadro tem se tornado ainda mais preocupante durante o isolamento social, onde agressor e vítima passam um tempo muito maior confinados num mesmo espaço. Segundo o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMDH), em abril deste ano ocorreu um salto nas denúncias de violência contra mulher através do canal 180, o aumento nas denúncias chegou a ser 40% maior comparado com o mesmo período de 2019. 

O MEDO AINDA IMPEDE AS DENÚNCIAS

É muito comum algumas vítimas não denunciam por vergonha ou medo. Algumas dependem de alguma forma do agressor, seja por questões econômicas ou total dependência financeira, essas questões podem levar uma pessoa a continuar em um relacionamento abusivo.

Um levantamento aponta que 39,2% dos feminicídios entre 2007 e 2017 aconteceram dentro de casa, segundo relatório da ONG Think Olga. 

4 DICAS DE COMO AGIR EM CASO DE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA DENTRO DO CONDOMÍNIO

São várias as dúvidas sobre como agir ao identificar um caso de violência doméstica, e ações simples podem mudar o desfecho de episódios de violência. 

Criamos algumas dicas de como agir caso em caso de violência doméstica, dentro do condomínio.

  1. Ao ver alguma discussão, caso acredite que possa evoluir para algum tipo de agressão, seja ela verbal ou física, o síndico ou porteiro pode se manifestar com uma pergunta simples, para saber se está tudo bem. Uma intervenção preventiva pode fazer com que o agressor sinta-se intimidado.
  1. Em caso de gritos, ameaças, pedidos de ajuda, sempre que existir um caso de violência comprovada ou emergência, acione imediatamente a polícia militar através do número 190
  1. A Central de Atendimento à Mulher (Ligue 180), não faz o acionamento imediato da polícia. Você deve ligar no 180 se, por exemplo, a mulher é vítima de violência constante e não toma a iniciativa de denunciar. Quanto mais detalhada for a informação, melhor.
  1. Caso tenha conhecimento das pessoas envolvidas na situação, tanto denunciante da violência e vítima, mantenha descrição e respeite a privacidade de ambos.

COM O BOTÃO DE EMERGÊNCIA, MULHERES PODEM PEDIR AJUDA

Pensando nisso, desenvolvemos o Botão de Emergência, para ajudar os moradores a denunciarem casos de violência contra mulheres, crianças e idosos.

Noknox disponibiliza essa funcionalidade para todos os usuários.

O botão de emergência alerta em tempo real a administração do condomínio sobre denúncias registradas pela própria vítima ou por outro morador.

Com o botão de emergência o morador, pode informar ao síndico e porteiro se estiver em alguma situação de emergência ou violência. Criamos um passo a passo de como acompanhar uma solicitação na plataforma, ou de como solicitar ajuda no aplicativo. Você pode verificar essas informações aqui.

Deixe uma resposta